Nossa Missão: Ética na relação médico paciente

Desde 1998 atendendo pacientes de Passos e região na Área de Ginecologia e Obtetricia, Reprodução Humana (Infertilidade Conjugal) e Ultrassonografia Feminina, tendo como foco a satisfação da cliente, sempre pautado na ética e na boa relação médico paciente.

Blog do Dr. Fabian
07/02/2011

Aborto: qual a causa?

Quando a mulher descobre que está grávida imediatamente várias mudanças acontecem, seja em seu corpo, no seu "psicológico", na sua vida conjugal e em tudo em sua volta. De repente tudo passa pela sua cabeça: planos para o futuro, sexo e nome do bebê, tipo de parto, dúvidas mil. De fato é um verdadeiro turbilhão pelo qual passa a gestante de uma hora pra outra.

É um verdadeiro acontecimento familiar e social, todos comentam e logo a notícia se espalha.

 Os primeiros 3 meses de gravidez perfazem um período crítico do desenvolvimento do bebê e em torno de 15 em cada 100 gestantes abortam, ou seja, o embrião para de crescer e a mulher vem a "perdê-lo".

Quando isso acontece a tristeza é imensa, e a primeira pergunta é: Por que perdi o bebê?

Aqui vai uma explicação que pode amenizar esse sofrimento: até 80% das perdas gestacionais dos primeiros 3 meses de gravidez são decorrentes de defeitos cromossômicos como a síndrome de Down, a síndrome de Turner, as triploidias, etc.

Pois bem, a maioria dos abortos não são culpa da mãe, não são resultados de esforços físicos ou de relação sexual nessa fase. A grande maioria dos abortos representa a própria seleção natural que faz com que bebês sadios se desenvolvam e que aqueles com problemas não se tornem recém nascidos doentes e dependentes .